POTY VELHO

23/02/2010 15:13

ORIGENS E COTIDIANO

O novo Poti é um bairro de temperatura agradável por se localizar as margens dos rios Poti e Parnaíba, concentrando uma mistura de raridades e contato direto com o ecossistema local. Tem uma população de aproximadamente cinco mil habitantes, sem contar com os bairros vizinhos. Apesar de ser uma comunidade histórica, pouco preserva sua arquitetura original deixando não muitos traços de suas origens e de seus colonizadores portugueses. Em uma das entradas do bairro um belíssimo cartão postal enche de orgulho os moradores dessa região, atraindo turistas e apresentando seu folclore com uma linda paisagem do encontro dos rios, causando um espetáculo aos olhos de quem visita essa região. Um lugar inspirador que deve ser guardado na memória de todos. Em outra entrada nos deparamos com uma ponte que reflete o espírito acolhedor das pessoas simples dessa região.

 

Mas, o Poti não é só paisagem e monumentos, ele se caracteriza por seu povo, por suas manifestações, pela expressão orgulhosa do rosto de cada morador feliz em acolher mais um visitante, pelas mãos habilidosas de seus artesões, pelo o suor e as mãos calejadas de seus oleiros que oferecem a matéria prima dos artistas da região, na habilidade das confecções das redes de pesca, dos pescadores que viram noites esperando os peixes, assim como Pedro antes de Jesus aparecer, na fé de seu povo que não cansa de rezar e esperar por melhorias e atenção, não sei se de Deus ou de nossos governantes.

 

A impressão que temos é que esse povo ficou esquecido no tempo ou que o tempo os esqueceu, mas a moda sempre volta e agora vemos os holofotes se voltarem para essa região. Teria sido as orações dos pescadores devotos de São Pedro em suas lindas procissões cortando rios? Ou as rezadeiras marianas com suas cantigas melódicas? Ou, ainda, a sensibilidade social de seus representantes políticos que se aguçou? Talvez tenha sido tudo isso junto quem sabe! A verdade é que, de repente, sinais começam a apontar para novos tempos. Contribuindo para um resgate histórico de uma região única, não só de nossa cidade como de todo nosso estado.

 

Podemos perceber, então, que seu cotidiano conserva raízes que influenciam em suas relações, através de costumes históricos, com um jeito quase primitivo, com mulheres presentes nas atividades das famílias e sua sustentação, com crianças aprendendo o oficio dos pais, características essas que determinam as relações econômicas, éticas e morais desse novo Poty Velho.

Por Carlos Rocha